Home » O que fazer na Costa Esmeralda na Sardenha, Itália?

O que fazer na Costa Esmeralda na Sardenha, Itália?

Quem já foi para a Costa Esmeralda na ilha da Sardenha, Itália, sabe o quanto aquele lugar é maravilhoso. Entre as ilhas que já visitei aqui na Europa, a Sardenha é uma das minhas favoritas.

A ilha fica localizada a oeste da Itália e é a segunda maior ilha do Mar Mediterrâneo, perdendo apenas para a Sicília, também na Itália (que inclusive eu já fui e super indico, pois é linda!).

Nós passamos 11 dias na Costa Esmeralda e deu para explorar diversas praias e cidadezinhas. Mas se eu pudesse ter mudado algo, teria dividido a viagem e ficado metade em um lugar diferente, mais ao Norte, para evitar de dirigirmos tanto.

Inclusive, uma dica que eu dou é: alugue um carro! Além da ilha ser enorme e os locais são mais afastados uns dos outros, também existem dezenas de praias paradisíacas e de difícil acesso e com carro, facilita muito, além de você poder fazer os seus horários, sem se preocupar com o transporte público (que dizem não ser dos melhores). 

A Costa Esmeralda possui quilômetros de baías maravilhosas e com uma cor do mar que é de tirar o fôlego, eis o motivo do nome!

Spiaggia del Principe
Spiaggia del Principe

Por isso que todo ano, a Sardenha atrai um número impressionante de turistas na temporada de verão, principalmente entre Julho e Agosto, quando acontecem as férias escolares aqui na Europa.

E eu aconselho, se você puder, tente ir em Junho ou Setembro, pois o clima continua ótimo, tem bem menos pessoas e você consegue aproveitar melhor as praias, além de ser bem mais bem mais barato que na alta temporada.

Nós ficamos na cidadezinha de Cannigione, que fica à apenas 17 quilômetros de Porto Cervo.
Confesso que a cidade e a praia não são tão bonitas comparadas com os outras da ilha, mas a escolhemos por ser um bom ponto de partida para visitarmos as praias mais do Norte e do Sul da Costa Esmeralda.

Vista para Palau e Maddalena, Costa Esmeralda, Sardenha, Itália
Vista para Palau e Maddalena

O legal das praias aqui na Europa, na minha opinião, é que você pode “farofar” sem medo de ser julgado. Como a maioria das praias na Sardenha não tem infraestrutura e os bares/restaurantes de praia são pequenos ou na maioria das vezes inexistentes e não há vendedores de comida pela areia, todo mundo leva seu próprio lanche e sua própria bebida.

Nós sempre levamos nossa bolsinha térmica com umas 2 cervejas, água, chá gelado e antes de irmos explorar as praias, a gente passa no mercado ou padaria e monta sanduíches fresquinhos com queijos e salaminhos locais, além de comprar uns “beliscos” não perecíveis. Assim nós podemos passar o dia explorando, sem medo de chegar em algum local e não ter o que comer.

A maioria das praias na Sardenha tem estacionamento, mas normalmente nenhum deles é gratuito. Caso a praia não tenha, você pode deixar o carro no acostamento, sem problema algum. 

O que fazer na Costa Esmeralda?

Conforme mencionei, nós apenas visitamos a Costa Esmeralda e infelizmente, pela ilha ser enorme, não conseguimos visitar o resto. Mas mesmo assim, existem tantas praias e tantas cidadezinhas lindas, que o tempo passa voando.

– Passeio no arquipélago La Maddalena e a ilha Caprera (esse eu visitei e é maravilhoso mesmo! Leia mais sobre ambos aqui)Bassa Trinita, La Maddalena, Sardinia, Italy

– Passeio de barco para Isola di Spargi e Isola Budelli (leia mais aquiaqui) pessoal, esse passeio é indispensável. Não tem como descrever a beleza dessas duas ilhas.

– Visita às praias, com destaque para a Spiaggia del Principe e Pevero (porém existem dezenas de outras praias paradisíacas e sinceramente fica difícil escolher qual é a mais bonita, leia mais aqui)

Pevero
Pevero

– Dizem que o pôr do sol no Club Phi Beach é muito bonito. Eu fui de tardezinha, mas estávamos tão cansados, que não ficamos para ver. Ele é um restaurante, bar e baladinha.

– Visitar o vilarejo arqueológico Nuraghe La Prisgiona, que foi ocupada entre os séculos XIV e IX a.C. e fica localizado no vale de Capichera, no município de Arzachena. Esse vilarejo possui mais de 90 casas pré-históricas, cobrindo uma área de cerca de 5 hectares.

– Não deixe de ir a algum “agriturismo”. São fazendas, onde seus donos alugam quartos e também tem o restaurante, onde não existe um cardápio e você paga um valor fixo pra comer a vontade. E o melhor disso, é que todos os pratos são feitos apenas com produtos locais daquela fazenda.

Como chegar na ilha?

O jeito mais fácil de chegar na Sardenha é de avião, descendo em um dos três aeroportos na ilha: Alghero, Olbia ou Cagliari 

Nós fomos e voltamos por Olbia, pois é o aeroporto mais próximo da Costa Esmeralda e ele ainda facilita a visita a Córsega (que é acessada facilmente de ferry por Santa Teresa di Gallura).

Você também pode pegar o ferry vindo de diversas partes como Gênova, Livorno, Civitavecchia, Nápoles, Palermo, Piombino na Itália, Toulon, Nice, Marselha e Porto Vecchio na França e Barcellona na Espanha, chegando nos portos de Olbia, Porto Torres, Cagliari, Arbatax, Golfo Aranci e Santa Teresa di Gallura, na Sardenha. 

Com mais de 200 ferries por semana, o melhor é consultar os horários e localizações, para planejar sua viagem, nesse site aqui: https://www.directferries.co.uk/sardinia.htm

Pratos tradicionais da região

Não adianta, a Itália é pra mim o país com a melhor culinária do mundo. Eles tem comidas para todos os gostos e a Sardenha tem diversos pratos típicos que você vai amar.

Porcheddu é um leitão assado e o prato chefe da Sardenha. O leitão é assado na brasa por mais de 5 horas, até que a pele fique crocante e a carne suculenta.
– Culurgiones é uma massa parecida com o ravioli, recheado com uma combinação de batata, queijo pecorino, alho, azeite e folhas de hortelã, criando um sabor marcante. Normalmente é servido com molho de tomate e manjericão ou com manteiga e sálvia.
– Zuppa Gallurese tem a consistência semelhante à da lasanha. É uma mistura de fatias de pão (podem ser utilizados diferentes tipos), caldo de queijo e cordeiro, assado no forno e é um prato tradicional do noroeste da Sardenha.
– Sea urchins – ouriços do mar, para quem gosta de frutos do mar crus. A época para experimentar esse prato é entre novembro e abril, quando a estação de “ricci di mare” está aberta.
– Fregula, que significa farinha de rosca, é uma massa típica da Sardenha feita de sêmola e enrolada em pequenas bolas. Existem muitas receitas para cozinhar fregola, mas dizem que a mais deliciosa é a com frutos do mar. 
– Bottarga ou caviar sardo, é uma das iguarias mais famosas da Sardenha. São ovas secas de tainha e pode ser provado em fatias finas como entrada ou pode ser usado para acompanhar massas, geralmente espaguete ou linguine.
– Malloreddus, é um pequeno nhoque, feito com farinha de trigo, água e um toque de açafrão moído. É normalmente servido como “malloreddus alla campidanese”, onde os pequenos nhoques são cobertos com uma deliciosa linguiça, ragu de tomate e polvilhados com queijo pecorino.
– Seada é uma sobremesa tradicional da Sardenha, feita de massa frita, recheada com queijo (normalmente pecorino) com aroma de limão e coberta com mel ou açúcar.

Além das múltiplas variedades de pães (cerca de 400 tipos de pães), a Sardenha é conhecida pelos seus queijos de ovelha e cabra, como pecorino, ricotta, Fiore Sardo DOP, casizolu, casu Axedu, casu marzu, entre outros.
E como em todo mediterrâneo, o peixe constitui a base da alimentação, além de vários frutos de mar bem fresquinhos. 

Entre os vinhos típicos da Sardenha, vale a pena destacar os vinhos tintos Cannonau, Carignano, Cagnulari e os brancos como o Vermentino, Torbato, Vernaccia e Nuragus.

E para aproveitar ainda mais sua viagem, fiz um resumo das praias que visitei na Costa Esmeralda, confira aqui sobre Baia Sardinia, Pevero, Porto Cervo entre outras. Já para ler sobre Sppiagia del Principe, Romazzino, Capriccioli e diversas outras, clique aqui.
Um ótimo dia e aproveite muito suas férias nesse paraíso!

Share this:
  •  
  • 39
  •  
  •  

This post is also available in: English

Deixe seu recado:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: