Home » Novas atualizações sobre o coronavírus na Inglaterra

Novas atualizações sobre o coronavírus na Inglaterra

Conforme os dias foram passando, eu fui mudando minhas atitudes e pensamentos em relação à essa nova realidade em que estamos vivendo.
Atualmente não tenho assistido tanto as notícias e nem leio todos os links que as pessoas me enviam, porque eu confesso que não estava me fazendo bem e estava me deixando muito ansiosa.

Mas enfim, aqui na Inglaterra a maior polêmica e controvérsia é sobre os testes para identificar quem está com o COVID-19.

Por diversos motivos, o governo tem feito “poucos” testes e a grande maioria somente naqueles que já estão internados nos hospitais.

O questionamento é que poucos trabalhadores que estão na linha de frente no combate ao coronavírus, tais como médicos, enfermeiros e tal, estão sendo testados.
Mas por que o governo só está conseguindo testar pouco mais de 10.000 pessoas por dia? Por que não tem mais testes disponíveis?

Segundo o NHS (SUS daqui), eles só podem realizar um número limitado de testes devido à escassez de kits de teste e reagentes.
O reagente é a substância usada para extrair o material genético do vírus, para que possa ser estudado mais facilmente. No momento, há uma alta demanda global por reagentes, razão pela qual eles são difíceis de se obter.

Outra polêmica foi que o Primeiro Ministro Boris Johnson e o Secretário da Saúde Matt Hancock fizeram o teste quando passaram a ter os sintomas do COVID-19. Na opinião de algumas pessoas, a prioridade deveria ser de quem trabalha em hospitais.

Eu discordo parcialmente!
Esses governantes estão em contato direto com diversas pessoas de diversas áreas essenciais no momento (saúde, economia, etc) e eles precisam sim, ser testados, para o caso de estarem infectados, poderem avisar outras pessoas que tiveram contato com eles e esses ficarem em quarentena e com isso diminuir o risco de mais pessoas serem infectadas.
Pessoas essas que são indispensáveis nas tomadas de decisões para toda a população e que estão fazendo o possível para gerenciar essa crise da melhor maneira possível.

O Secretário da Saúde, Matt Hancock, disse que até o final de abril, o governo planeja realizar 100.000 testes todos os dias, não só na Inglaterra mas em todo o Reino Unido.
Porém não há detalhes sobre como isso pode ser alcançado ou que tipo de teste será feito.

A meta é realizar esses testes para todo o sistema de saúde, incluindo pacientes, equipe médica e suas famílias, funcionários da linha de frente e aqueles que acreditam ter o vírus.

Atualmente, Hancock disse que 35.000 funcionários do NHS estão em quarentena pois estão com os sintomas ou porque moram com alguém que está com o sintoma ou infectado pelo coronavírus. Infelizmente alguns médicos e enfermeiros acabaram falecendo na última semana devido ao contato com o vírus.

O governo também está amortizando £13.4 bilhões em dívidas do NHS, para que os fundos hospitalares estejam em uma “posição mais forte” para lidar com o surto.

E mais uma polêmica, foi que alguns clubes de futebol da Premier League foram criticados por usar o esquema do governo para reduzir os salários dos funcionários que não jogam, enquanto pagam os jogadores na íntegra.

O Prefeito de Londres foi um dos que criticou duramente (e com toda razão!) o absurdo e agora, na teoria, os jogadores de futebol da Premier League devem ter um corte salarial para ajudar o Reino Unido a responder à crise.
Sejamos sinceros, não vai nem fazer cócegas no bolso desses jogadores milionários!

Um novo hospital, chamado The Nightingale, foi construído em Londres pelo exército e pelo NHS e em apenas 9 dias e foi inaugurado hoje, dia 03 de Abril. Esse hospital fica localizado no East London’s ExCeL Exhibition Centre, onde normalmente acontecem shows, exposições e conferências.

No momento já existem 500 camas totalmente equipadas com oxigênio e ventiladores e há espaço para outras 3.500. Ele não será um hospital convencional – apenas pacientes que já estão com ventiladores serão admitidos ou transferidos de outras unidades de terapia intensiva em Londres.

O NHS informou que mais dois hospitais Nightingale serão abertos, um em Bristol e um em Harrogate. Serão assim, mais 1.500 leitos disponíveis para ajudar a lidar com o crescente número de casos de coronavírus.
Hospitais semelhantes também devem ser inaugurados no Centro Nacional de Exposições de Birmingham e no Complexo Central de Manchester.

O executivo-chefe do NHS na Inglaterra, Simon Stevens, disse: “Estamos dando o aval para esses sites adicionais, esperando que eles não sejam necessários, mas nos preparando caso sejam”.

Obras também começaram a transformar parte do aeroporto de Birmingham em um necrotério capaz de armazenar pelo menos 1.500 corpos, caso o número de mortos aumente significativamente.

O número de pessoas confirmadas com o coronavírus e que infelizmente morreram aumentou para 3.605 no Reino Unido. Sendo a grande maioria na Inglaterra, com mais de 2.698 mortes e Londres a cidade mais afetada.
Infelizmente, no Reino Unido, o número de mortos ainda está dobrando a cada dois a três dias.

Dezenas de proprietários que tem propriedades vazias estão oferecendo casas aos trabalhadores do NHS gratuitamente.
Principalmente após relatos de que alguns estão enfrentando despejos, porque os proprietários os consideram um risco de infecção.
Ou também, um grande número de funcionários de hospitais foi forçado a alugar propriedades para realocar ou isolar suas famílias.

Mas, na semana passada, surgiram sites para gerenciar o número de proprietários que agora oferecem acomodações gratuitas.
Assim como tem gente ruim, tem gente boa nesse mundo!

Outra notícia boa é que um aparelho respiratório que pode ajudar a manter os pacientes com coronavírus fora dos cuidados intensivos foi criado em menos de uma semana.

Os engenheiros da University College London trabalharam com médicos da UCLH e Mercedes Fórmula Um para construir o dispositivo, que fornece oxigênio aos pulmões sem a necessidade de um ventilador.

Quarenta dos novos dispositivos foram entregues à ULCH e a outros três hospitais de Londres. Se os testes derem certo, até 1.000 das máquinas de CPAP podem ser produzidas por dia pela Mercedes, a partir da semana que vem.

A produção dos ventiladores também foi aumentada, com várias equipes de F1 envolvidas em um esforço conjunto com empresas britânicas de indústria, tecnologia e engenharia dos setores aeroespacial, automotivo e médico.

Haas F1, McLaren, Mercedes, Red Bull Racing, Racing Point, Renault Sport Racing e Williams uniram forças com Airbus, Rolls-Royce e Siemens para produzir os ventiladores, dos quais o Reino Unido está em falta.

Lembram que comentei no post anterior que o governo avisou que precisava de 250.000 voluntários e em menos de 24 horas já havia mais de 500.000? Pois bem, o número aumentou e agora mais de 750.000 voluntários estão ajudando pessoas idosas e do grupo de risco, seja ligando para ver como estão, fazendo e entregando as compras e várias outras atividades. Legal né?

Fora a população que está se ajudando entre si, ajudando seu vizinho, seu amigo e esses nem entram nesse número de voluntários.

O Primeiro Ministro ainda está em isolamento, pois foi infectado e depois de 7 dias, continua apresentando febre. Já o Príncipe Charles se recuperou rapidamente e inclusive, fez via vídeo, a inauguração do novo hospital.

No momento, vamos continuar em quarentena e depois da Páscoa, o governo vai rever a estratégia. Mas ao que tudo indica, ainda ficaremos em isolamento social pelas próximas semanas.

Enquanto isso, a vida segue diferente…
Como pago há alguns anos um valor mensal para o mercado trazer as compras na minha casa, eles estão dando prioridade para esses clientes e para as pessoas do grupo de risco.

Sendo assim, eu já tenho garantido que uma vez por semana terei minhas compras. Isso foi um grande alívio, pois por fazer parte do grupo de risco (minha imunidade é baixa devido à falta do baço e parte do pâncreas), não quero que eu ou meu marido tenhamos que ir no mercado.

Enfim, claro que diversos produtos estão em falta, tais como álcool gel, sabonete, farinha de trigo, paracetamol e alguns produtos não perecíveis. Porém, nada que não conseguimos nos virar e eu só posso agradecer por isso…
Mas pouco a pouco os mercados estão mantendo seu estoque e as pessoas parando de fazer estoque em casa.

Conversando com algumas pessoas, parece que alguns mercados não estão seguindo as regras de distanciamento de 2 metros entre os funcionários e consumidores. Muitos inclusive foram infectados após terem ido ao supermercado.

Cada vez que o mercado chega, eles deixam as compras na minha porta e eu só posso abrir depois que eles saem. Depois eu desinfeto tudo com água sanitária ou lavo com bastante detergente e desinfeto o chão onde as sacolas estavam.

Meu marido sai para correr, dia sim dia não nas ruas onde não passa ninguém e quando chega, lavamos as roupas e desinfetamos tudo onde ele encostou.
É toda uma preparação e é estranho viver assim, com medo, mas essa é a nossa nova realidade e esperamos que logo isso acabe…

E agora, vem a minha opinião pessoal e como eu vejo a situação.

Tenho visto diversas pessoas falando e postando gráficos mostrando que morrem muito mais pessoas de malária, AIDS, câncer e várias outras doenças e que a COVID-19 é menos letal.

Bem, por ser altamente contagioso e letal principalmente para os idosos, o coronavírus leva dezenas de pessoas para o hospital de uma só vez.
Portanto, essas pessoas com diferentes problemas, não serão devidamente atendidas e serão expostas ao vírus no ambiente hospitalar, podendo vir a falecer, por falta de leito e equipamentos.

Sem contar que médicos e enfermeiras acabam doentes ou morrendo por terem sido infectados e isso gera ainda mais pressão nos órgãos de saúde.

Portanto, a crise é sim séria e deve ser analisada e manejada da maneira mais humana possível e não comparando quem morre mais do que…

Share this:
  •  
  •  
  •  
  •  

This post is also available in: English

Deixe seu recado:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: