Home » Inglaterra suspende todas as medidas de restrições

Inglaterra suspende todas as medidas de restrições

O Primeiro Ministro Boris Johnson confirmou no final da tarde do dia 05 que o restante das restrições impostas na Inglaterra serão suspensas a partir do dia 19 de julho.

O pronunciamento foi dado com duas semanas de antecedência para que o público e as empresas tenham mais tempo de preparar para essa flexibilização e o anúncio formal será feito no próximo dia 12, caso haja alguma alteração.

Ele explicou que a implementação da Fase 4 foi adiada no mês passado, para que eles tivessem o maior número de pessoas vacinadas e além disso, ter mais tempo de estudar se as vacinas reduzem o risco de morte pelo COVID-19. 

Segundo ele, no momento o risco maior de continuar com as restrições, é o quanto essas medidas estão afetando a vida e a saúde mental das pessoas.

Ele diz que é hora de sermos honestos conosco: ”Se não podemos abrir no verão quando o clima está bom, quando podemos voltar ao normal? A alternativa é abrir no inverno, acrescenta e isso não é uma boa ideia.”

Boris definiu os detalhes da etapa para o fim do lockdown e anunciou as seguintes mudanças:

– Todos os limites restantes de contato social (atualmente 6 pessoas ou 2 residências internas ou 30 pessoas ao ar livre) serão removidos e não haverá mais restrições sobre quantas pessoas podem se reunir em qualquer ambiente, interno ou externo;

– todos os locais que ainda estão fechados, tais como boates, podem reabrir;

– cinemas e teatros podem receber a capacidade total de espectadores, bem como grandes eventos, tais como shows e esportes;

– não haverá limite de pessoas em casamentos, funerais, batismos, etc;

– não é mais necessário o distanciamento entre mesas em restaurantes e demais locais;

– adultos com as duas doses das vacinas podem viajar para países da “lista laranja” sem ter que se isolar quando retornarem à Inglaterra;

– as empresas serão incentivadas a exibir códigos QR para os clientes fazerem o check-in usando o aplicativo NHS COVID-19, para oferecer suporte ao NHS Test and Trace, embora isso não seja mais um requisito obrigatório;

– as regras de distanciamento social (2 metros) serão suspensas. As pessoas deve continuar a considerar os riscos do contato próximo com outras pessoas, especialmente se você for clinicamente extremamente vulnerável ou ainda não estiver totalmente vacinado;

– o uso de máscaras faciais será voluntário, exceto em hospitais e outros ambientes de saúde, mas eles pedem que as pessoas continuem usando em locais muito cheios, principalmente no transporte público;

– não é mais necessário que o governo instrua as pessoas a trabalharem em casa. Os empregadores podem começar a planejar o retorno de seus funcionários aos locais de trabalho.

Todas as medidas estão explicadas detalhadamente nesse link aqui.

O Primeiro Ministro disse: “devemos enfatizar que a pandemia não acabou e que os casos continuarão a aumentar nas próximas semanas” e adicionou: “devemos aprender a conviver com esse vírus e a partir de agora, devemos exercer nosso próprio julgamento ao conduzir nossas vidas”.

Porém diversos cientistas estão pedindo cautela, principalmente pelo fato de que o número de casos da variante Delta (indiana) tem aumentando rapidamente e com essa flexibilização total, os números estarão ainda mais preocupantes, não o suficiente para sobrecarregar o NHS, mas o suficiente para interromper a recuperação de outros serviços, como tratamento de câncer e cirurgias de rotina.

O indicado, porém não mandatório, é que as pessoas continuem a usar as máscaras faciais em locais fechados ou com muitas pessoas e se possível, ainda manter pelo menos um metro de distanciamento.

Mesmo com essa questão, a boa notícia é que graças ao programa de vacinação, o número de pessoas que acabam no hospital e acabam falecendo estão muito abaixo do que costumavam ser. Durante o pico do inverno, houve uma morte para cada 60 infecções e agora estamos tendo uma morte a cada 1.000 pessoas infectadas.

Os últimos dados mostram que mais de 63% da população adulta do Reino Unido já recebeu a segunda dose da vacina e 86% já recebeu a primeira dose. Para agendar sua vacinação, entre nesse link aqui.

Além disso, o governo garante que estão preparando para oferecer a terceira dose de “reforço” para todos com mais de 50 anos e os mais vulneráveis a partir de Setembro.

A vacina de reforço deve garantir que a proteção não diminua durante os meses de inverno e que a imunidade seja maximizada para fornecer resiliência adicional contra as variantes.

Uma das polêmicas é quanto ao uso de um certificado de vacinação – ou passaportes para vacinas, mas foi decidido que não haverá exigência de certificado para participar de eventos ou em qualquer outro local.
Porém, cada local pode ter suas próprias regras e exigir o certificado ou o comprovante do NHS (SUS daqui), de que a pessoa deve suas duas doses da vacina.

À medida que avançamos, devemos lembrar que o COVID-19 continua fazendo parte de nossas vidas. Teremos que continuar vivendo de forma diferente para manter a nós mesmos e aos outros seguros.

O conselho é: reúna-se ao ar livre sempre que possível e caso não seja, tente deixar as janelas e portas abertas, para que o ar se renove; faça o teste quando necessário, afinal, o governo inglês disponibiliza esses testes de graça (através desse site aqui) e tome a vacina quando esta lhe for oferecida.

Share this:
  • 160
  •  
  •  
  •  

Deixe seu recado:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

comentários

error: