Home » Inglaterra flexibiliza restrições a partir de 17 de Maio

Inglaterra flexibiliza restrições a partir de 17 de Maio

A Inglaterra passa por um dos melhores momentos desde o início da pandemia, as taxas de infecção estão no nível mais baixo desde setembro de 2020 e as internações hospitalares continuam diminuindo, sinais estes de que o lockdown e a vacinação em massa são fundamentais.

Inclusive, mais de 35 milhões de pessoas – ou mais da metade de todos os adultos do Reino Unido – já receberam a primeira dose da vacina e mais de 17 milhões de pessoas receberam a segunda.

As vacinas demonstraram reduzir a probabilidade de doenças graves na maioria das pessoas, mas como todos os medicamentos, nenhuma vacina é completamente eficaz, portanto, aqueles que a receberam devem continuar a tomar precauções para evitar a infecção.

Ainda não se sabe até que ponto a vacina impede a propagação do COVID-19 e mesmo que tenha sido vacinado, a pessoa ainda pode transmitir COVID-19 a outras.

O governo disse que os dados mais recentes sugerem que a flexibilização das restrições provavelmente não causará o ressurgimento das infecções, mas que as pessoas devem refletir sobre o nível de risco e tomar as precauções mais apropriadas para suas circunstâncias.

O que muda no dia 17 de Maio?

  • Pubs e restaurantes podem receber os clientes em ambientes fechados, no entanto, só podem servir em mesas (ninguém pode ficar em pé tomando uma bebida e tal);
  • Cinemas, teatros, museus, galerias, salas de concertos, áreas de recreação infantil, hotéis, pousadas, aulas de ginástica indoor – serão permitidas;
  • As pessoas podem se reunir em grupos de até 30 ao ar livre;
  • Seis pessoas ou duas “casas” diferentes, podem se reunir em ambiente fechado;
  • Pernoites serão permitidas em grupos de até seis pessoas ou duas famílias;
  • Até 30 pessoas podem comparecer a casamentos e funerais;
  • Performances e grandes eventos podem recomeçar, com número limitado de espectadores;
  • O uso de máscaras faciais em salas de aula de escolas não será obrigatório;
  • Todos os estudantes universitários podem retornar às aulas presenciais, mas devem fazer o teste duas vezes por semana;
  • Visitas em casa de repouso poderão ser feitas por 5 pessoas ao invés de 2, desde que estes testem negativo;
  • Continua a regra de 2 metros de distância de qualquer pessoa que não seja da sua casa ou bolha de suporte, ou 1 metro com precauções extras em locais que não puder ficar a 2 metros;
  • Quem pode, deve continuar a trabalhar de casa;
  • Férias no exterior serão permitidas.

Amigos e familiares vão poder se abraçar, mas a Ministra da Saúde Nadine Dorries pede para que estes sejam feitos em um menor número de pessoas possível e que os abraços sejam breves, para minimizar o risco de propagação do vírus.

O uso de máscaras continua a ser obrigatório em ambientes internos, como lojas, igrejas e nos transportes públicos.

No pronunciamento do dia 10 de Maio, o Primeiro Ministro Boris Johnson disse: “Reunir-se ao ar livre ainda é mais seguro, reunir-se dentro de casa é mais seguro com as janelas abertas. Devo pedir que continuem acompanhando o distanciamento social, sempre que não estiver com amigos ou familiares. Se olharmos para outros países, ainda há evidências das consequências muito “tristes” da doença, portanto devemos permanecer vigilantes”.

A pessoa que é considerada “clinicamente extremamente vulnerável”, corre um risco maior de contrair doenças graves causadas pelo coronavírus, mas já não precisam mais ficar em isolamento. No entanto, são aconselhadas a continuar tomando precauções extras para se proteger, continuando a manter baixo o número de interações sociais e limitar a quantidade de tempo que passa em ambientes onde é difícil manter o distanciamento social.

As viagens internacionais não serão mais ilegais e inclusive, as pessoas terão permissão para viajar para alguns países sem ter que ficar em quarentena quando retornarem.

Basicamente, o que você deve fazer ao chegar do exterior à Inglaterra depende de onde você esteve nos 10 dias anteriores à sua chegada.

Foi elaborado um sistema de cores que categoriza os países com base em seus níveis de risco COVID-19. A lista será revisada a cada três semanas e os países podem ser adicionados ou removidos em curto prazo.

Lista Verde
Os viajantes que retornam de um país dessa lista não precisarão entrar em quarentena e apenas farão um teste PCR, no ou antes do segundo dia após a chegada ao Reino Unido.

Essa lista é constituída por Portugal, Gibraltar, Israel, Austrália, Nova Zelândia, Singapura, Brunei, Islândia e as Ilhas Faroe, além de várias ilhas remotas que são Territórios Britânicos.

No entanto, a entrada na Austrália, Nova Zelândia, Singapura, Brunei e nas Ilhas Faroe é severamente restrita.

Portugal pretende receber turistas do Reino Unido que receberam ambas as doses da vacina, que fizeram recentemente um teste negativo ou que se recuperaram do vírus e, portanto, têm anticorpos.

Gibraltar não exigirá que os visitantes do Reino Unido sejam testados ou vacinados, ao passo que Israel irá inicialmente reabrir sua fronteira em 23 de maio apenas para grupos de turistas estrangeiros que receberam as duas doses.

Lista Laranjada
Cobre os destinos de férias mais populares do Reino Unido, como Espanha, França, Itália e Grécia, além de vários outros países.

Pessoas que viajarem para esses locais, devem na volta, fazer quarentena em casa por 10 dias e teste antes da partida, além de teste PCR nos dias 2 e 8, embora possam reduzir esse tempo se fizerem um teste negativo adicional no quinto dia.

Porém, o Secretário do Transportes, Grant Shapps, aconselha às pessoas não viajarem para os destinos dessa lista.

Lista Vermelha
Entre os países da lista vermelha estão Brasil, Índia, África do Sul, Emirados Árabes, etc. A Turquia e as Maldivas serão adicionadas à lista vermelha na quarta-feira, 12 de maio.

Aqueles que retornam de um país da lista vermelha devem fazer quarentena em hotel por 10 dias a um custo de £1.750 por pessoa e fazer teste antes da partida, além de teste de PCR nos dias 2 e 8.

Lembrando novamente que as listas podem ser alteradas a qualquer momento, mas não se espera que ocorram mudanças até que a situação seja revisada em 28 de junho.

Para verificar a lista de países em cada categoria, é só verificar o site do governo: https://www.gov.uk/guidance/red-amber-and-green-list-rules-for-entering-england

Lista restrições Viagens

O Secretário do Transporte também disse que as pessoas que receberam as duas doses da vacina poderão usar o aplicativo do NHS (SUS daqui) para comprovar seu estado de vacinação.

A partir de 17 de maio, quem não tiver o aplicativo pode solicitar uma carta do NHS comprovando sua situação através do número de telefone 119.

Porém, os resultados de teste para o COVID não serão mostrados no aplicativo e o processo de reserva e apresentação dos resultados do teste para viagens permanece com o protocolo atual.

O conselho do governo diz: “Cada país decidirá se exigirão alguma prova de vacinação para a entrada nesses locais e é responsabilidade do viajante verificar os requisitos de cada país.”

Já a União Européia anunciou planos para um “Certificado Digital Verde”. Isso permitiria que qualquer pessoa vacinada contra o coronavírus, que teve um teste negativo ou se recuperou recentemente do vírus, possa viajar dentro da região. As autoridades esperam que o certificado esteja em vigor antes do verão.

Com todas essas notícias Primeiro Ministro Boris Johnson espera poder suspender a maioria das regras até 21 de junho, mas isso vai depender de que o nível de contaminação e número de mortes e internações hospitalares continuem diminuindo.

Share this:
  • 36
  •  
  •  
  •  

Deixe seu recado:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 comentário

error: