Home ¬Ľ Como est√° a situa√ß√£o da Inglaterra com o coronav√≠rus?

Como está a situação da Inglaterra com o coronavírus?

Que loucura isso que estamos vivendo, heim?
Em menos de um mês nossa vida virou de cabeça pra baixo e nem sabemos quando voltará ao normal.
Como dizem aqui, esse agora é o nosso novo normal e segundo o Primeiro Ministro, ainda mais possíveis mudanças estão por vir.

Aqui na Inglaterra uma coisa é certa, as estatísticas estão erradas e existem muito mais casos de pessoas infectadas do que estão divulgando.

Digo isso porque em primeiro lugar, eles s√≥ est√£o fazendo o teste em quem j√° est√° no hospital. Em segundo lugar, como a recomenda√ß√£o √© de o paciente ligar em caso de suspeita, j√° vimos casos de pessoas com todos os sintomas, que ligaram para o devido n√ļmero e falaram que a pessoa estava sim com o COVID-19 e ficou por isso. Nenhum teste, sem entrar na estat√≠stica, nada.
Ent√£o, n√£o tem como saber ao certo quantos casos temos realmente por aqui.

No mais, as pessoas entraram em p√Ęnico fazem duas semanas mais ou menos.

Os mercados estão vazios, pois o egoísmo é mais forte e diversas pessoas fizeram estoques e agora, quem precisa já não consegue mais muita coisa. Já estamos no momento onde você compra o que tem, sem grandes escolhas e preferências.

Felizmente nós conseguimos algumas verduras e essa semana as congelei, pra garantir que a gente continue se alimentando saudavelmente. Também conseguimos arroz, feijão e um pouco de carne em um açougue/mercearia brasileira e com isso, temos alimentos por umas 2 semanas. Depois disso, a gente vê o que faz…
O coronavírus já me deu uma lição: nunca mais desperdiçar comida!!!

Por iniciativa dos pr√≥prios mercados, alguns deles est√£o deixando a primeira hora para os idosos e no domingo, algum hor√°rio ser√° reservado para aqueles que trabalham na √°rea da sa√ļde e tal.

O governo ingl√™s, foi na contram√£o dos outros pa√≠ses e fez uma t√°tica diferente, deixando tudo aberto e sem grandes restri√ß√Ķes. Basicamente ningu√©m entendeu muito bem essa estrat√©gia e no final, a popula√ß√£o mesmo come√ßou a se auto-isolar.

Infelizmente s√≥ no dia 20/03 √© que fecharam as escolas (menos para filhos de profissionais da sa√ļde, policiais e demais profiss√Ķes diretamente envolvidas no combate ao coronav√≠rus).

Tamb√©m no dia 20/03 o Primeiro Ministro ordenou que esse seria o √ļltimo dia que caf√©s, bares e restaurantes estariam abertos. Por√©m esses podem fazer servi√ßo de coleta, n√£o desperdi√ßando assim os alimentos.
Como os ingleses (e nós) vamos sobreviver sem ir no pub é um mistério!

O que eu achei legal é que diversos restaurantes, como estavam sem clientela mas com muita comida estocada, começaram a vender caixas com verduras, frutas e demais produtos perecíveis.

Isso é ótimo para quem já não encontra mais esses alimentos nas grandes redes de supermercado, bem como para o restaurante, que estará ganhando algum dinheiro, sem desperdiçar esses alimentos.

O comércio ainda continua aberto, mas a recomendação do governo é para ficarmos em casa, ou seja, esses locais estão vazios. Então por que o governo não decreta logo o fechamento desses estabelecimentos? Ninguém entende…

Diversos museus e atrativos tur√≠sticos fecharam por conta pr√≥pria, indo na contram√£o das recomenda√ß√Ķes do governo.
Porém muitos desses museus proporcionam visitais virtuais e tal. Logo vou postar uma listinha para vocês se distraírem.

O metr√ī de Londres fechou diversas linhas e o fluxo de √īnibus foi diminu√≠do, mas sinceramente n√£o sei como os trabalhadores dos locais que ainda n√£o fecharam, v√£o se locomover.

Empresas de gin e whisky iniciaram a fabricação de álcool gel, que simplesmente não se encontra em lugar algum.

O NHS (SUS daqui), está se preparando como pode, inclusive negociando com hotéis para que esses se transformem em hospitais.

E √© ai que voc√™ deve tentar entender, a quest√£o n√£o √© apenas: √© s√≥ uma gripe! Entendam, n√£o √© apenas uma gripe, pois o COVID-19 se propaga muito mais rapidamente e afeta muito o sistema respirat√≥rio, principalmente daqueles que j√° tem algum problema de sa√ļde.

A quest√£o e o p√Ęnico √© porque muita gente doente e precisando de cuidados hospitalares de uma s√≥ vez, sobrecarrega o sistema de sa√ļde. Faltam leitos nos hospitais, faltam respiradores, falta UTI, na realidade faltam hospitais no geral. E quem quer ficar doente, sabendo que n√£o conseguir√° ser atendido de forma eficaz ou talvez nem ser atendido?

Pensem, a It√°lia j√° est√° entrando na fase da ‚Äúescolha de Sofia‚ÄĚ.
Escolha de Sofia, é quando tem que escolher quem será atendido e quem tem mais chances de sobreviver, deixando assim, quem tem menos chances, morrer. Isso, por falta de recursos, devido a grande quantidade de pessoas doentes ao mesmo tempo.

Isso é muito triste! Isso é muito grave e não acontecia desde a Segunda Guerra Mundial.

Aqui na Inglaterra, j√° se sabe que os hospitais n√£o tem capacidade o suficiente e por isso est√£o contactando diversas ind√ļstrias para produzirem mais respiradores. F√°bricas como a Rolls-Royce, Ford, Honda, entre outras j√° est√£o estudando como fazer a produ√ß√£o desses equipamentos. Resta saber se ser√° a tempo!

Em torno de 65 mil médicos e enfermeiros que já estão aposentados, foram contactados pelo governo, para voltarem a trabalhar e ajudar no período de caos que está se aproximando.
Dizem que estamos a algumas semanas para o pico de pessoas infectadas.

No mais, diversas s√£o as medidas que o governo diz que vai tomar, para ajudar os trabalhadores e empresas que v√£o sofrer economicamente com essa ‚Äúparalisa√ß√£o‚ÄĚ.

No dia 20/03 foi anunciado que o governo pagará 80% dos salários dos funcionários mantidos por seu empregador, cobrindo salários de até 2.500 libras por mês. Com isso os trabalhadores poderão manter seus empregos, mesmo que seu empregador não possa pagá-los.

O pacote salarial é o mais recente de uma série de medidas governamentais destinadas a aliviar o fardo para as empresas e seus funcionários.
Lembrando que isso vale apenas para funcion√°rios registrados. Mais informa√ß√Ķes (em ingl√™s) aqui: https://www.gov.uk/coronavirus

Todos os dias, às 17 horas, o Primeiro Ministro faz um pronunciamento e conforme as coisas forem mudando por aqui, eu vou contando pra vocês.

Na realidade, aqui em Londres, estamos s√≥ esperando o ‚Äúlockdown‚ÄĚ da cidade, que √© onde tem a maioria dos casos de coronav√≠rus no pa√≠s. Lockdown √© o que j√° est√° acontecendo na It√°lia, Fran√ßa, Espanha, onde as pessoas s√≥ podem sair de casa por algum motivo s√©rio; s√≥ pode sair uma pessoa por vez para ir no mercado, mantendo dist√Ęncia de no m√≠nimo 1 metro da outra; entrar¬†no mercado de poucos em poucos e tal. Enfim, cada pa√≠s tem a sua regra.
Vamos ver se isso realmente vai acontecer por aqui.

Por enquanto, o que sabemos é que teremos que ficar em casa por diversas semanas e só sair em caso do extrema necessidade: basicamente farmácia e supermercado.

Com isso, diversos grupos est√£o se formando para nos ajudarmos virtualmente nesse momento de estresse e ansiedade.

Para nos mantermos ativos, tem pessoas fazendo aulas de gin√°stica, yoga, pilates por video.
Muitos profissionais e inclusive muitas escolas estão fazendo videos interativos para as crianças e aulas virtuais, para as crianças continuarem seus aprendizados.
Existem psicólogos, terapeutas, nutricionistas, coaching e diversos outros profissionais dando dicas super legais nas mídias sociais.

Enfim, muitas e muitas pessoas se ajudando em prol da sa√ļde f√≠sica e mental nesse per√≠odo de isolamento social.

Quero ver se faço uma listinha indicando esses canais e mídias para que vocês tenham ideias do que fazer.

Quem diria que um dia iríamos perder nosso direito de ir e vir… Por sorte, isso será passageiro e aprenderemos muitas coisas nesse meio tempo!

Compartilhe:

Deixe seu recado:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: